terça-feira, 14 de abril de 2009

História do GASde69

Os acontecimentos aqui relatados há muito que foram passados, como tal é normal que não se tenham sucedido assim tal e qual. Peço a todos que os viveram que me corrijam, é que isto da memória já não é o que era… também ela faz parte da história.

Corria o ano de 1997 ou de 1998, já não sei… E foi um ano afoito, pois nele foi criada a famigerada ABSTUNENCIA, a tuna mista da paróquia de espinho. Um espaço onde cabia a brejeirices dos moçoilos e a sensibilidade das moçoilas. Mas o tempo encarregou-se de fazer o que o bom senso teria feito se tivesse existido no início: Decretou-se o fim da Abstunência! Aleluia! (cantado).

Bem, mas como a mais bela flor pode nascer da mais asquerosa bosta, com o fim da Abstunência uma pequena semente germinava silenciosamente nas cabeças e nos corações de alguns dos ex-abstunêncios. A ideia começava a ganhar forma e a vontade começou a ser forjada, era urgente criar uma tuna apenas de gajos, perdão, uma tuna masculina. Feita para encantar as donzelas, sem cotas para elas.

Alguns começaram então a juntar-se para cantar serenatas e encantar sob o luar as suas donzelas. Deste grupo inicial conta-se o Guro, o Boquinha-Linda, o Pide, o Monstro-das-Torradas e o Homem-Que-Mordeu-O-Cão.

Na noite de 14 para 15 de Março de 1999, por ocasião da festa de ânus do Boquinha-Linda, o Guro, o Pide e o Homem-Que-Mordeu-O-Cão, resolveram fazer a primeira (e espera-se que última) serenata a um mamífero com apêndice fálico, uma serenata romântica ao Boquinha-Linda. Poucos minutos antes da meia-noite estes três intrépidos tunos alinharam-se sob a janela na esquina da rua 31 com a rua 18 e começaram a cantar “Só um beijo”, cantaram a musica inteira e ninguém veio à janela… que vergonha. Tocou-se finalmente à campainha e a janela abriu-se. Uma careca mais luzidia que a lua cheia apareceu e um sorriso torto os encantou, era o Boquinha-Linda, ainda com vestígios de bolo de chocolate nos beiços. Cantaram novamente “Só um beijo” e promessas de amor eterno voaram na direcção deles. Entretanto o mafarrico desceu as escadas e juntou a eles, para cantarem mais duas músicas à senhora sua mãe, a Sra Dona Regina. No final subiram, como é óbvio, para se deliciarem com as guloseimas culinárias da chefe Regina e provar (repetidamente) o Porto oferecido para a ocasião. Nessa noite, sentados entre as cadeiras e os sofás da sala do Boquinha-Linda falou-se de muito e as ideias começaram a sair. A semente já não mais o era, era já uma planta que rebentava viçosa entre os grumos da imensa massa de bosta.

Passados uns dias, o Obelix, informou o Boquinha-Linda que o António, o namorado da avantajada Sónia, aquela que deu origem à publicidade da Trinarnajus (ver em: http://www.youtube.com/watch?v=8avbKvk5zkY), queria fazer-lhe uma serenata, o motivo já não me recordo, mas era um destes ou ela fazia anos ou ele querias que ela fizesse ânus. Ora bem, a malta queria era copos e motivos para os copos, por isso toca a ir. Juntamo-nos todos no dia 16 de Abril de 1999 no Zé Carlos, subimos ao andar de cima e começamos a ensaiar umas músicas e a beber umas receitas e acabamos a beber umas músicas e a ensaiar umas receitas. Tentou ensaiar-se o António mas o rapaz era demasiado dotado para a música, ficou decidido que ele fazia a parte mais difícil: dava o beijo apaixonado no final. O reportório era simples, mas eficaz, “Só um beijo”, “Meia noite ao luar” e “Linda Donzela”, iam ser três secos. Perto da meia-noite seguimos viagem para casa da Sónia, que era loooooge… era atrás da igreja de Silvalde. Foi limpinho, ao fim da primeira musica já os olhos Sónia brilhavam e o sorriso aquecia a noite fria. Mas isso ninguém viu, contou-nos depois o António, porque a malta andava a passear os olhinhos por outras partes da Sónia.

Findo o maravilhoso recital rumamos todos (todos menos o António que ficou a retirar dividendos junto da sua amada) até ao Mar-Doce onde nos esperavam frescas e douradas canecas de cerveja, patrocinadas pelo… António.
Sentamo-nos à mesa sete. O Guro, o Boquinha-Linda, o Pide, o Monstro-das-Torradas, o Homem-Que-Mordeu-O-Cão, o Obelix e o Claudicador. Capas negras cobriram os tampos das mesas cinzentas e chamuças fresquinhas, fritas há três dias, saltitavam alegremente dos pratinhos para a boca, entre goladas de cerveja fresca que anestesiavam a goela. Não me recordo ao certo do rumo da conversa, mas estou certo que após se terem comentado repetidamente até à exaustão os seios da Sónia, o tema encalhou na necessidade de se criar um grupo que explorasse as nossas qualidade musicais e nos providenciasse um espaço de lazer, onde os nossos laços de amizade pudessem ser fortalecidos e desenvolvidos. É claro que não foi com estas exactas palavras, afinal de contas estava tudo grosso e a língua que já emperrava só se soltava á custa de um palavrão ou outro. Ficou então decidido que estava criado o Grupo Académico de Serenatas de Espinho. Os estatutos foram acordados verbalmente, não eram mais que dois ou três pontos, dos quais só me recordo de um. Apreciem lá a relíquia:

“É estritamente proibido faltar aos ensaios, nem sequer por causa da namorada. A única excepção é no caso dos pombinhos se terem zangado e de estarem na hora do ensaio a fazer as pazes ou a tentar sanar a situação.”

É ou não é um doce?! (o nosso mui nobre estatuto: "no minimo como o Guro" apareceu mais tarde)
É então que no televisor (ainda não haviam plasmas naquele tempo e os telemóveis eram uma curiosidade rara) começam a passar imagens da revolução estudantil de 1969 em Coimbra. Os nossos olhos ficaram vidrados na caixa mágica, onde vimos outros, que poderíamos ser nós, a darem a cara por uma causa muito maior. Resolvemos honra-los e acrescentar ao nosso nome o “69”. Assim ficou GASde69.

O resto… bem o resto é história. Lembro-me que no dia seguinte acordei com uma dor de cabeça descomunal por causa do raio das chamuças. Só pode ter sido as chamuças, eu mal bebi.

Peço desculpa a todos aqueles que esperavam uma crónica exacta e séria da história do GASde69, mas o que é facto é que foi exactamente assim que tudo se passou. Bem, pelo menos foi mais ou menos assim.


Um abraço a todos os gaseanos e parabéns a todos nós.

PS: Para salvaguardar potenciais susceptibilidades recordo que todos os factos qualitativos e subjectivos aqui relatados são o produto da minha opinião pessoal.

14 comentários:

Tiago disse...

E ficou aqui nas palavras de quem lá esteve, a fundação do GAS de 69... e aquele que foi o nosso grande segredo interno de quando tínhamos a mania que éramos a maçonaria(Mocidade, mocidade...)!

Não somos um bando de porcos... o 69 é uma coisa muito séria!

Parabéns e obrigado pelo texto, grande Inginheiro que mordeu o cão!

Fred disse...

Como ultima aquisição, só tenho a dizer, venha mais 10 anos pelo anos !!!!

Zientist disse...

Esta narrativa é de fazer inveja ao professor José Hermano Saraiva...O rigor, a exactidão...:)

Como um dos Gaseanos mais novos, é sempre bom conhecer como tudo surgiu..e abençoadas chamuças!!!

PS-Podias ter adicionado fotos a retratar os acontecimentos, principalmente da Sónia eh eh eh

Até sexta!!!!

Barão Vermelho disse...

Claro que está tudo muito bem... Só se esqueceram de mim ... Do primeiro ensaio enjeitado no "Gil" onde fui recrutado, antes da serenatas há sónia (era sónia?)
O guru lembra-se! Acho!

eeheh

Abraço Zé! O zé do gil.. lembram-se? o que está no Algarve...

Homem Que Mordeu o Cão disse...

Hello Zé!! How are you? Are you ok in All-Garbe? I write to you in All-garbish to a better understanding.
I am terrible sorry to inform you that the story of the foundation of GASde69 was as described in the text. In fact you were the first recruit of GASde69, as so you enter to GASde69 after this episode, much after. But do not worry, one day I will write the story about the “first recruit of GASde69”.
Best regards,
Man-Who-Bites-The-Dog

Barão Vermelho disse...

Oh my friend. Very tanks for the EX-planation.
I´m taking bifes classes to proper bifes talks. you know!
So i'm the first recruit.. what was I thinking of...
Anyways, the best time of my life was with you all! So thank you all for that!
But one of my favourite stories is from Dady Xarroz! ololol And the well known sentence "já chega de arroz..!"lolool

Bless you.

Hugo disse...

Se alguem conseguir mudar Monstro das Bolachas para Monstro das Torradas era bom. Estou-me a sentir uma beca diminuido... :) Bolachas??

Homem Que Mordeu o Cão disse...

Ups... :p Já tá.

Ze Rodrigo disse...

em grande...
uma historia pra contar aos netos... eu uma vez tambem fui atacado por um cachorro que me caiu mt mal... mas das chamuças nunca tinha ouvido falar nos seus efeitos secundarios nefastos... vou passar a ter mais cuidado!
parabens a todos... preparem-se... o dia esta a chegar!!!

Nicky disse...

Grande historia sobre o inicio mítico deste grupo. Muito bom mesmo.

PEDRO disse...

ESTOU FASCINADO... NÃO SABIA QUE EXISTIA HISTÓRIA NO PERÍODO A.C. MAS GOSTEI BASTANTE, E SE A MEMÓRIA NÃO ME ATRAIÇOA, ACOMPANHEI ESSES MOMENTOS COMO MITRA.

Eduardo disse...

Já conhecia a historia do GAS! Mas descrita pelo HQMC tem outro encanto!! Quanto ao Monstro das Torradas realmente o nome Monstro das Bolaxinhas de Água com Sal parece ser mais apropriado para o gajo que falta ao jantar de aniversário do GAS sem querer!! :)
ATÉ AMANHÃ!!!!

Barão Vermelho disse...

Parabéns a Nós! 10 anos!
Para nós Vai tudo!
F-R-A

Como é qué malta!
É grande...!
É grosso...!
Dà voltas ao pescoço...!

Abraço a todos!

Guru disse...

Grande Homem-que-mordeu-o-cão AKA Pica!!!!!

Eu não teria feito melhor!!!

AH... Saudade...